Skip to content

Razões para aprender japonês: Na academia

20/12/2011

Bom… Morar no Japão deveria ser a maior razão para querer aprender o idioma, não é mesmo?! Mas as pessoas são diferentes e cada indivíduo tem as suas prioridades e nem sempre aprender japonês faz parte das prioridades de muita gente que eu conheço aqui. Cada um, cada um!

Por que aprender japonês é uma prioridade para mim? Porque eu fico feliz toda vez que entendo alguma coisa na televisão, quando entendo algum aviso sonoro dentro do metrô – mesmo que seja só para informar que serão as portas do lado direito/esquerdo que vão abrir – ou quando, mesmo que de uma forma simples e até ainda com alguns erros eu consigo me comunicar com os outros, me fazer entender e entender o que os outros dizem para mim. Sério… Precisa de um motivo melhor do que esse último para tentar aprender uma nova língua?!

Talvez um dos lugares onde eu mais consigo praticar o que eu estou aprendendo seja na academia: Seja durante as aulas ou quando algum colega de esteira/transport puxa algum assunto… O fato é que ouvir tanta gente falando vai deixando o ouvido “treinado” também. Às vezes, durante as aulas alguém fala alguma coisa engraçada e todo mundo ri, menos eu… É chato, mas sempre tem alguém que faz questão de tentar me explicar depois, de um jeito simples e que eu consiga entender. Resumindo: Mesmo quando eu não entendo, nunca me deixam de lado e isso é bem bacana dos meus colegas de malhação.

Ontem, quando estava para sair da academia, por volta de 22:40h, tinha uma senhora saindo junto, estávamos esperando o elevador quando aparece uma pessoa meio perdida e vai pedir informação na recepção da academia.

Pausa para pequena descrição da academia:

A academia fica nos 4º e 5º andares de um prédio, mas a entrada do prédio fica no 2 andar… Vai entender. Tanto na entrada do prédio como também dentro dos elevadores têm placas informado o que está localizado em cada andar, ou seja, se você sabe pelo menos o nome de onde quer chegar e prestar o mínimo de atenção, você vai conseguir chegar. Além disso, tenho a impressão que depois das 22h, apenas um dos dois elevadores permanece funcionando. Não sei se é para economizar energia ou simplesmente porque, pela hora, a quantidade de gente circulando no prédio justifica ter apenas um elevador funcionando, enfim…

Voltando para a história de ontem:

A colega da academia e eu estávamos esperando o elevador para descer quando surgiu essa pessoa perdida pelo prédio e foi pedir informação na recepção da academia. Olha, tá certo que em Tokyo você pode sair do jeito que você achar melhor de casa, com o estilo de roupa que preferir, o cabelo na cor e penteado que mais te agradam… Mas vamos combinar que nem sempre o tom de loiro está certo para você, que vestido longo, fluído e  com cara de primavera não combina com o frio que está fazendo e óculos de sol quase 11 horas da noite não dá para concordar muito, né?!
Desculpa aí quem tá pensando “deixa a mulher ser do jeito dela”… Eu deixo, mas também deixo a crítica que tem dentro de mim se expressar.

De qualquer jeito, nem foi o visual da perdida que chamou mais a atenção. O fato foi que ela logo entrou de novo no elevador, junto comigo e com a outra senhora que estava saindo da academia e a perdida simplesmente apertou todos os botões do elevador! TODOS!!! Oi?!
Foi um tal de abre a porta do elevador, fecha porta do elevador… E eu só queria chegar na saída do prédio! Chegou um ponto que eu não sabia se ia conseguir segurar o riso… Se achava a situação um pouco bizarra…

Enfim, chegamos no andar onde fica a saída do prédio – mas a perdida continuou no elevador. Nisso, a senhora que estava saindo da academia também começou a comentar o que tinha acontecido. Poxa… Eu daria tudo para ter entendido tudo o que essa senhora falou, mas não entendi. Mas sabe quando a comunicação acontece além das palavras?!

A cara que ela fez, o sorrisinho maroto ao fazer o comentário… Gente, tenho certeza absoluta que ela fez um comentário bem bitchy sobre o que tinha acabado de acontecer!
De verdade, como uma situação dessas não aumenta – e muito – a vontade de entender tudo em japonês?!

*Tenho que registrar aqui que na hora eu pensei “Cadê vc aqui, Peter, para rir dessa situação comigo?!” #bitchyfriend

Anúncios
One Comment leave one →
  1. 02/01/2012 12:23 pm

    Muito orgulho de você, Alê!
    Continue estudando japonês com o seu ânimo que nos contagia, que logo logo você além de entender comentários bitchy, vai poder responder/comentar na lata! hehehe 😉

  2. Célia permalink
    03/01/2012 10:56 am

    A Alê é bem minha filha mesmo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: