Skip to content

Aoyama

02/02/2010

こんにちは。

“Nossa, está me dando uma alegria enorme em conseguir escrever alguma coisa aqui durante a tarde!”

Bom, assim era como deveria começar este post! Escrevi esta primeira frase tem DIAS e até hoje não consegui mais desenrolar muito esta minha confusão aqui… Impressionante!

Enfim, finalmente consegui sentar e focalizar a minha atenção no blog – porque eu tenho, de verdade, uma necessidade imensa de ter tudo ao meu redor no seu exato lugar, caso contrário, não consigo me concentrar em nada – para mostrar um pouquinho de Aoyama.

Aoyama significa “montanha azul”. Bom, já daria para começar uma pequena discussão aqui, porque “yama” é “montanha” em japonês e “aoi” significa “azul”… Mas se eu já entendi isso certo, a palavra azul (aoi) aqui também pode indicar verde, ou seja, Aoyama pode significar “montanha verde”, o que faria mais sentido, né?!

Bom, vamos acreditar então que Aoyama significa “montanha verde” em japonês. A embaixada do Brasil aqui em Tokyo está localizada nesta área, hiper movimentada e super agradável de visitar. Em outras palavras: Nós vamos MUITO a Aoyama!

Embaixada do Brasil em Tokyo

Uma das coisas que mais me agradam em Tokyo é que quando a gente pensa em “Tokyo” (pelo menos eu) imagina-se uma cidade muito densa, com prédios muito altos… Não sei se todo mundo imagina assim, mas antes de vir em 2008, imaginei uma cidade um tanto claustrofóbica mesmo! Para a minha felicidade, me enganei!

Engraçado que lembro demais de algumas aulas de urbanismo. Sério! Fico prestando atenção nas escalas… Nas relações entre alturas e larguras… Nas dimensões! Nunca tive tanta certeza que as tais dimensões que alguns professores fazem questão de nos mostrar com relação ao urbanismo realmente fazem toda a diferença!

Em Aoyama a gente consegue perceber bem isso: é uma área com muitos tipos de serviços sendo oferecidos, mas também é uma área residecial (numa escala menor do que em outros lugares por aqui, mas residencial). Pelas avenidas, naturalmente mais largas, os prédios que estão lá são mais altos… Faz sentido. Mas quando a gente começa a se embrenhar pelas ruas locais… Nas ruas locais é que está realmente meu carinho por Aoyama!

Tem dias que o frio tira um tanto do meu bom humor, eu imploro por um dia de calor (que sei que vou me arrepender amargamente por ter pedido, quando o verão chegar), mas andar por Aoyama deixa qualquer dia mais alegre. Isso não deve ser só coisa minha, porque sempre tem muita gente lá e isso também chama bastante a minha atenção: sempre tem muita gente nas ruas! Acho isso lindo e não sei o porquê (até sei, vai!), mas sempre lembro de uma amiga minha, a Carolzinha (Pescatori).

As ruas também são feitas para os carros (e até para mini caminhões que andam por aqui) mas é gente meeeeeeeeeeeeeesmo que toma conta das ruas!

Pelas fotos dá para ver que nestas ruas locais não existem calçadas. Gente, de verdade… Em lugar que o povo tem educação, calçada é para onde tem espaço! Basta essa faixa pintada no asfalto mesmo… Todo mundo se entende!

E nem venham me falar de sentimento de coletivo! Japonês é individualista e cada um está na sua bolha até vc pedir ajuda para ele! Todo dia aqui é mesmo uma lição de vida. Manoel Carlos (a.k.a. Maneco) não tá com nada. Leblon é rascunho para o que estamos vivendo aqui!

Ainda teriam milhares de coisas de/sobre Aoyama para escrever aqui… Mas ó: um post de cada vez!

 

Anúncios
One Comment leave one →
  1. Isabella permalink
    05/02/2010 2:58 am

    amei, amei, amei!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: